27.8.12

26º Capítulo - "Como cheguei até aqui?"

Finalmente subimos. Assim que chegámos a casa demo-nos conta que a mãe do Duarte ainda não tinha chegado. Que estranho. O Dudu foi ao telefone, clicou para ouvir as mensagens: “Filipa, Duarte, sou eu. É só para avisar hoje vou ter de ficar até mais tarde no trabalho. Podem encomendar pizza, há dinheiro suficiente. Mas não abusem. Só devo chegar à meia-noite, mas às 11 quero-vos na cama. Beijinhos.
- Então estamos sozinhos. – Concluiu o Duarte.
- Yap.
Parece que iriamos ter de adiar a grande notícia. Enquanto isso a trovoada tinha abrandado, mas chovia intensamente. Adorava o som da chuva a bater nas janelas e ficar ali a olhar pela janela. Sabia lindamente. Fiquei a admirar a chuva a cair por uns momentos.
- Estás a ver a chuva amor? – Perguntou o Dudu, abraçando-me.
- Hm hm. Já sabes que adoro chuva. Quando estou dentro de casa, claro.
Essa era a verdade. Mas também adorava o verão, a praia, o sol. Sentir a água a molhar-me os pés…
- Depois do jantar queres ver um filme? Fazíamos pipocas e ‘abancávamos’ no sofá. – Sugeriu-me. A ideia agradava-me.
- Ya, boa ideia. Mas vamos encomendar o jantar que já estou cheia de fome!
Ambos éramos muito comilões. Mas apesar da fome uma pizza familiar foi suficiente para os dois. Enquanto comíamos reparei que tanto eu, como ele, apesar de comermos imenso, éramos muito magros. Nunca tive problemas com isso, aliás até me considerava uma sortuda por poder comer o que quisesse sem engordar.
Depois do jantar, vestimos os pijamas e fomos ver um filme. Não me lembro do nome, mas era uma comédia. Como era um filme bastante grande, acabei por adormecer em cima do Dudu.
Passado um bocado acordei. Dei-me conta que já estava no quarto, na cama. Quando fui ver as horas, 23:44. Assim que a luz do telemóvel acendeu:
- Acordaste, foi? – Perguntou o Dudu, lá de cima.
- Hm hm. Como cheguei até aqui? – Perguntei ensonada.
- Eu trouxe-te ao colo.
- Oh, obrigada príncipe. – Agradeci.
- Não mereço um beijinho de boas noites?
- Claro que mereces amor.
Levantei-me e subi até ele. Dei-lhe um beijo e quando me preparava para descer:
- Ah, fica aqui comigo… Está frio. – Sugeriu fazendo beicinho.
- Então sugeres que eu te aqueça princesa? – Ironizei eu.
- Oh não sejas assim… Vá lá.
Óbvio que não consegui dizer que não. Claro que a cama não era suficientemente grande para duas pessoas caberem confortavelmente, por isso tivemos de nos apertar. Mas antes de dormir, ainda namorámos um bocadinho. Ele pôs-se em cima de mim e trocámos uns beijos. Depois disse-lhe que já era hora de nos deitarmos e ele a muito custo aceitou. Adormecemos abraçados um ao outro.

11 comentários:

Melany disse...

Exato, são pessoas com pouca cabecinha que não compreendem isto minimamente :)

Melany disse...

(:

Kika Santos disse...

Um dos teus melhores capitulos. Parabéns:D
Adorei:D

Quase-Princesa disse...

Oh tão querida. Obrigada *-*
Ainda bem :D

# SaraSantoos disse...

adoreeei este capítuloo (:
Um beijo *

Quase-Princesa disse...

Ainda bem Sarinha, obrigada (:
Outro*

Catarinaaa' disse...

Oh esta mesmo fofinho *-*

Quase-Princesa disse...

Oh obrigada Catarinaa *-*

CSJA ** disse...

Ameeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiii ! Perfeito como sempre ! Foi o momento perfeitooooo ! O pior é quando a mãe dele chegar !! Mas vamos ver o que acontece :D

Quase-Princesa disse...

Ainda bem!!! Obrigada rainha *-* Pois foi :D Veremos... :D

Duarte M. disse...

Ahahaha começam a dormir juntos cedo xD