13.8.12

20º Capítulo – “Estás quase a fazer anos”

Decidimos isso mesmo. No dia seguinte iríamos para o nosso sítio.
- Bom-dia! – Disse a D. Mariana ao entrar no “nosso” quarto. – Se quiserem podem continuar a dormir, mas eu tenho de ir à escola tratar de tudo.
- Bom-dia mãe. – Disse o Dudu.
- Bom-dia D. Mariana. – Disse eu. – Eu acho que já não consigo dormir, já ando às voltas na cama há séculos. E tu Dudu?
- É, eu também não. – Respondeu ele.
- Muito bem então. Vá toca a levantar, vão tomar o pequeno-almoço! O que vão fazer hoje? – Perguntou ela.
- Nós estávamos a pensar… - Disse o Dudu reticente.
- … Em ir para aquele sítio da outra vez. – Continuei eu.
- Ok, mas comem lá, ou como é?
- Sim, nós estávamos a pensar nisso. Não te importas mãe? – Perguntou o Duarte.
- Não, podem ir. Sempre se distraem. Mas ponham almoço consistente. E levem tudo o que precisarem. E… - Dudu interrompeu-a.
- Mãe! Sim, não te preocupes, nós levamos tudo o que precisamos.
- Mas eu só ia dizer para levarem um telemóvel convosco, para o caso de precisarem de alguma coisa!
- Nós levamos, claro. – Disse eu.
Fomos tomar o pequeno-almoço. Depois pusemos nas malas tudo o que precisávamos e fomos arranjarmo-nos. Logo a seguir fomos para lá.

(Uns meses depois…)

- Estás quase a fazer anos Filipa!
- Podes crer.
Já estávamos no início de novembro. Era dia 4 que eu fazia anos. E estava quase.
Ia ser a primeira vez que não passava o meu aniversário com a minha mãe. Ela continuava em coma. Os médicos não lhe davam muitas chances de recuperar. Podia ficar anos naquele estado. O meu pai estava internado num hospital psiquiátrico, já que depois do choque, começara a ter atitudes estranhas. Delírios, falava de coisas esquisitas e um dia entrou mesmo à força no quarto da minha mãe. Com isto, decidiram interná-lo.
E eu continuava em casa do Duarte. Aquilo que pensava ser uma situação temporária, tornava-se cada vez mais algo permanente. Eu gostava de morar com eles, mas tinha saudades da minha mãe, dos dias passados com ela… A D. Mariana já era como uma mãe para mim. Depois de tudo o que fez por mim, não sabia como agradecer-lhe. Para me sentir melhor, ela decidiu comprar um beliche para o quarto do Dudu. Assim, um dormia na parte de cima do beliche, e o outro na parte de baixo. Estávamos sempre a trocar. Eu e ele… Já éramos como irmãos.
Na escola, muitos me perguntavam porque morava em casa do Dudu, o que se tinha passado com a minha mãe. Mas eu não quis dizer-lhes. Ninguém tinha nada a ver com isso. Quando viram que não lhes respondia, decidiram deixar de me perguntar.
Eu e o Dudu, passávamos imenso tempo no nosso sítio. Íamos todos os dias para lá. Sentíamos que aquele lugar era especial. Só não percebíamos porquê. Talvez um dia descobríssemos.

31 comentários:

Diaana Santos disse...

Quem será a menina?! Boa pergunta!
Obrigada e beijinhos linda

Diaana Santos disse...

Obrigada por teres deixado a tua mensagem de apoio!

Diaana Santos disse...

Ainda bem que gostaste do capitulo!
Obrigada pelo teu voto na sondagem.
fico feliz por saber que já mostraste o teu apoio!
Beijo

Diaana Santos disse...

Ahahah! Claro que tinha que parar mesmo naquele sitio! Ainda bem que gostaste do capitulo :)

R*M disse...

olaa querida!
Dsc mas ontem nao tava a conseguir comentar. A frase é à escolha. ;)

Princesa Perdida disse...

Pois é!
De nada e beijinhos para ti também linda

Princesa Perdida disse...

Ola querida. Não faz mal. Ah ok, obrigada ;)

Princesa Perdida disse...

Claro que gostei!
De nada querida. Beijinho*

Princesa Perdida disse...

Ahah! :)

Princesa Perdida disse...

Não precisas de agradecer :)

Samantha Miller disse...

Adoro a forma como escreves

Diaana Santos disse...

Na minha opinião a autora não percebe nada daquilo que escreve mas safa-se! Fico muito feliz por saber que te ris a ler os meus capitulos, de certa forma é esse o meu objetivo! Obrigada

Diaana Santos disse...

Obrigada pelo elogio :)
Muito obrigada pelo selo

Diaana Santos disse...

A Mafalda no fundo, no fundo, bem no fundinho até é uma boa pessoa

Diaana Santos disse...

Sim, as pulseiras são lindas!
Têm um grande significado para as duas! É uma boa escolha

Diaana Santos disse...

Eu sei que posso contar contigo! Obrigada por tudo e não estejas preocupada
beijinhos

Diaana Santos disse...

Este capitulo é especial, não achas?
Obrigada querida

Princesa Perdida disse...

Ainda bem que gostas :) Obrigada*

Princesa Perdida disse...

Eu não acho, acho que a autora sabe muito bem o que escreve e tem um talento enorme! De nada querida :)

Princesa Perdida disse...

De nada linda :)

Princesa Perdida disse...

Ainda bem que sabes! Não precisas de me agradecer, e preciso sim. Quando é que tens um tempinho para falarmos? Beijinho*

Princesa Perdida disse...

Acho! Muito especial, mesmo!
De nada linda, beijinho*

Princesa Perdida disse...

Concordo contigo. Obrigada*

Princesa Perdida disse...

Mas bem lá no fundo!

# Be Swag disse...

adoro a maneira como escreves, é simplesmente perfeito *-*

Princesa Perdida disse...

Oin, obrigada *-*

kátia sofia disse...

ADOREI *_*-
O BLOG TA LINDO ,O CAPITULO IMPECÁVEL,CONTINUA ASSIM :))))

CSJA ** disse...

Ameeeeeeeeeeeeeei *-* como sempre, mas está lindo mesmo rainha !!
Apesar de tudo, é bom saber que ao menos há sempre um lado bom nas coisas :D

Beijinhos gigantes rainha !!

ps: Ela faz anos dia 4? :D

Princesa Perdida disse...

Oin, ainda bem rainha e obrigada!
Claro, há sempre, não?
Beijinhos gigantes para ti também rainha*

ps: Sim, faz!

Princesa Perdida disse...

Ainda bem querida *-*
Obrigada linda, ainda bem que gostas :)

Duarte M. disse...

Era o cantinho deles :)