23.8.12

24º Capítulo - "Eu pensava que a surpresa estava aqui!"

A resposta a esta minha pergunta viria em breve.
Chegámos à escola. Antes de entrarmos larguei-lhe a mão. Quando ia para atravessar o portão, ele travou-me.
- Espera… - Disse ele enquanto me agarrava pela mão, que há pouco tinha soltado.
- O que é? – Perguntei, com aquele ar de curiosa.
- Dá-me um beijo… - Pediu-me.
- Oh Dudu e se alguém vê?
- Ninguém vê, descansa. Vou ficar o dia inteiro sem… Acho que mereço…
- Ok ok. Vem cá. – Pedi-lhe.
Ele acedeu rapidamente ao meu pedido. Voltámos a beijar-nos como se não houvesse amanhã.
- Vá, bora. – Disse eu.
- Oh só mais um… - Pediu ele.
- É o último!
- ‘Tá bem!
À hora do almoço fui almoçar ao bar da escola. O Dudu veio comigo, mas comeu muito à pressa. Disse que tinha de ir a um sítio, mas não disse onde. Ele estava a tramar alguma.
- Onde é que andaste? – Disse-lhe eu, após ter chegado atrasado à primeira aula da tarde.
- Depois vês.
- Ai tanto mistério…! – Disse, amuada.
- Depois vês.
- Oh – Exclamei.
- Filipa, se a menina não quer ouvir ao menos deixe o Duarte aprender! – Disse a minha stora, chamando-me a atenção.
- Desculpe ‘stora. – Disse eu, amuada. Viro-me para o Dudu, ironizando. – “se a menina não quer ouvir ao menos deixe o Duarte aprender”
- Ahahahah! – Ele riu-se. – É melhor calares-te que eu quero aprender menina Filipa!
Depois ainda tivemos mais uma aula. Nesse dia saíamos às 5. Antes de sairmos da escola, ele disse que tinha de ir ao cacifo buscar umas coisas. Ele raramente utilizava o cacifo e eu estava super curiosa. Mas o que é que o Dudu andava a tramar?
- Ok, já podemos ir! – Disse ele ofegante, após uma corrida do cacifo até ao portão.
- Não percebo porque não pude ir contigo, assim escusavas de correr.
- Oh, não me custou nada. Vamos?
- Vamos. – Disse, revirando os olhos.

(No caminho):
- Não me podes mesmo dizer o que se passa?
- Não! É surpresa, e se é surpresa obviamente que não posso revelar. – Respondeu com um sorriso nos lábios. – Já não falta assim tanto para veres.
Era verdade. Estávamos quase a chegar ao nosso sítio. Ao contrário do que eu estava à espera não estava lá nada.
- Eu pensava que a surpresa estava aqui! – Disse-lhe, meio surpreendida.
- E está. – Já não estava a perceber nada.
- Hã? – Perguntei, confusa. Ele ignorou-me por completo. Vi que estava a tirar algo da mala.
- Põe isto nos olhos. – Disse, enquanto me dava uma fita.
- Mas p’ra quê?
- Põe. – Já estava mesmo a ver que ele não me ia dizer nada, por isso acedi ao seu pedido.

(Minutos depois):
Ele ajudou-me a levantar. Logo a seguir tirou-me a fita dos olhos.
- O que é isso Duarte?

11 comentários:

Rita disse...

adorei este capítulo!

Quase-Princesa disse...

ainda bem!

Alex disse...

Amei o capítulo, está perfeito!
Beijinhos :D

Quase-Princesa disse...

Obrigada :D
Beijinho*

# Be Swag disse...

Fiquei curiosa o; Adorei, como sempre, está perfeito ! (:
Beijinho *

Quase-Princesa disse...

Ainda bem :o Não te preocupes que amanhã posto o próximo :D
Obrigadaa! (:
Beijinho*

Catarinaaa' disse...

Oh esta perfeito *-*

Quase-Princesa disse...

Oh obrigada *-*

CSJA ** disse...

OH MEU DEUSSSSSSSSS QUE LINDOOOOOO *-* SE EU NÃO FOSSE LER AGORA O RPÓXIMO, ACHO QUE MORRIA DE CURIOSIDADE :o

Quase-Princesa disse...

RAINHA, LIGASTE O CAPS LOCK? AHAHAH.
OH MEU DEUSSS QUE FOFAAA *-* AHAHA, ENTÃO AINDA BEM QUE FOSTE, NINGUÉM QUER QUE TU MORRAS (QUE HORROR) :b OBRIGADA <3

Duarte M. disse...

O que será ahaha