15.2.13

34º Capítulo: "Faz as malas"

- Explicar o quê? Acho que as coisas são óbvias! – Disse a minha mãe, ainda a recuperar do choque inicial.
- Ok, isto não é o que parece! Como entraste aqui? – Disse eu. A esta altura já o Dudu tinha ido buscar um robe e já estava vestido.
- Ai não? Vocês estavam a demorar e eu pedi a chave na receção para ver o que se passava. Mas ainda bem que o fiz. Mas não mudes de assunto minha menina! Temos que conversar.
Dentro de minutos apareceu a D. Mariana que também veio ver o que se passava. Deparou-se com este cenário, mas ela, ao contrário da minha mãe:
- Oh Ana, mas isto é perfeitamente normal. Eles não têm propriamente idade para andar nisto, mas o que é que tu achavas? Que eles dormiam no mesmo quarto, na mesma cama e que ainda não tinha acontecido nada? Sabes que nesta idade… - Disse D. Mariana, para nosso espanto, e alívio.
- Mas a idade não é justificação para tudo! “A curiosidade matou o gato”! – Ela estava mesmo furiosa. – E claro que tu não estás preocupada, afinal o teu filho não pode engravidar, já a minha…
- Que exagero Ana! Eles com esta idade já sabem mais coisas do que nós e conhecem os métodos contracetivos. Acho que são responsáveis, não?
- Mas mãe, isto foi a primeira vez que aconteceu. E sim, nós usámos proteção! – Disse o Dudu.
- Deve ter sido a primeira vez, deve… - Murmurou a minha mãe. Porém, eu ouvi.
- Sim, foi! – Disse eu. – Nunca tínhamos feito nada até agora, a sério.
- Mas mesmo assim. Não têm idade para estas coisas…
- Oh Ana, mas em que século é que tu vives?
E começaram uma acesa discussão. A minha mãe a explicar que não é antiquada, a D. Mariana a contrariá-la, etc. Dez minutos depois já não podia com aquilo:
- Já chega! – Disse eu, dando um grito.
- Tu não falas assim minha menina! – Retorquiu a minha mãe.
- Mas não acham que já chega? Não estamos em casa, ok? – Disse o Dudu, intervindo para me defender.
- Sim, o Duarte tem razão. – Disse D. Mariana. – Agora vistam-se e venham tomar o pequeno-almoço. Quando chegarmos a casa resolvemos isto.
Sempre tivera medo do “quando chegarmos a casa”. Tinha medo das consequências que tudo isto poderia ter.
Vestimo-nos e fomos tomar o pequeno-almoço. Escusado será dizer que o clima estava bastante tenso, o silêncio era constrangedor. Fomos visitar mais algumas zonas que nos faltavam da Serra, mas a diversão? Essa foi nula. Eu e o Dudu estávamos com receio do que iria acontecer, a minha mãe estava furiosa connosco e com D. Mariana também, por a ter contrariado.  
Depois, voltámos ao hotel, arrumámos as nossas coisas, fomos almoçar e logo de seguida seguimos viagem. Eu e o Dudu estávamos ansiosos e de tal maneira assustados que nem música nos apetecia ouvir. Encostei-me a ele, ficando com a cabeça no seu peito e ele mexendo-me nos cabelos longos.
Depois, chegámos. A viagem parecia ter sido ainda mais rápida que a ida, talvez pelo medo que sentíamos.
Entrámos em casa, eu fui à casa de banho ganhar forças, o Dudu arrumou as malas, assim como a minha mãe e D. Mariana. Quando acabámos todos, reuni-os na sala para podermos conversar.
- Vamos falar, então? – Disse eu.
- Claro. – Disse D. Mariana. Ela parecia estar do nosso lado. O que não me consolava.
- Mãe, D. Ana: aconteceu. Não foi nada planeado, simplesmente aconteceu. Vocês sabem que eu e a Filipa gostamos muito um do outro e já namoramos há um ano, parece-me bastante normal. Mas não escolhemos o momento certo. Peço desculpa em meu nome e em nome da Filipa, vocês não deviam ter-nos apanhado assim. – Justificou o Dudu. Porém a minha mãe não parecia nada convencida.
- Quer dizer que se eu não vos tivesse apanhado, vocês nunca nos tinham contado…
- Claro que contávamos mãe. Com calma, mas contávamos. – Disse eu.
- E agora isto vai-se tornar um hábito? – Disse a minha mãe.
- Claro que não. Nós dormimos no mesmo quarto mas isto não vai mudar nada! – Disse o Dudu.
- Então imaginem que acontece uma vez, que não se protegem. A Filipa engravida. O que fazemos disso?
- Ana, eles são responsáveis, sabem tomar conta de si. Isso não vai acontecer, a Filipa pode começar a tomar a pílula até.
- A pílula, aos 15 anos? Nem pensar! – A minha mãe estava quase convencida. Mas não.
- Por amor de Deus, tu és mesmo antiquada! É uma idade perfeitamente normal. Vamos ao ginecologista, e tratamos disso tudo.
- Eu não sou antiquada Mariana por favor. Só não concordo com a maneira leve com que tratas as coisas! Achas normal, eles terem sido apanhados naquelas figuras e agora “estar tudo bem”? Nem pensar, isto não vai ficar assim. Eu não quero correr riscos.
- O que queres dizer com isso, mãe? – Estava cheia de medo.
- Acho que já está na altura de voltarmos para nossa casa. – Disse ela.
- Não mãe, não podes fazer isso! Vais afastar-nos, é?
- Não minha querida, vão só passar a dormir em casas diferentes, como é normal. E só vão estar juntos quando vai estar mais alguém em casa. De preferência eu, porque já vi que a Mariana…
- O que é que tu queres dizer com isso? Achas que, se tu não quisesses, eu iria deixá-los sozinhos ou assim? – Tinha esperança nisso. - Já me estás a ofender! – Disse D. Mariana, visivelmente afetada.
- Tu estás-te a marimbar se eles fazem sexo ou não! – Disse a minha mãe, ao ataque.
- Ana! Claro que não me estou a marimbar, mas acho que estás a tomar uma decisão injusta!
E continuaram com a acesa troca de palavras. Eu e o Dudu fomos para o quarto.
- E agora? Se eu tiver de me ir embora? – Disse eu.
- Vem cá princesa. – Disse, abraçando-me. – Eu também não gosto da ideia, mas se tiver de ser, será!
- Ah e tu aceitas isto assim? De ânimo leve? – Estava revoltada. Mais com a situação do que com o Dudu.
- Não é nada disso! Mas não podemos fazer nada, vamos estando juntos, lá em tua casa, na escola. Vai ser complicado ao início, mas vai ficar tudo bem. Pode ser que com o tempo consigas convencer a tua mãe a voltar cá para casa.
- Assim que eu sair desta casa, não volto a entrar, pelo menos como moradora. – Disse a minha mãe, que acabara de entrar no quarto.
- Agora deu-te para ouvir atrás das portas, é? – Disse-lhe chateada.
- Não sejas mal-educada Filipa! Faz as malas. Saímos desta casa ainda hoje.

34 comentários:

So' disse...

Oh eles estavam tão queridos e agora vao ter de "se separar" :c

Bernardo disse...

muito bom :D

So' disse...

R: Sim, isso é verdade :)

CláudiaD disse...

R: sim, foi um dia normal de solteira xD mas tive uma pequenita surpresa

Marisa Costa disse...

Tens tanto jeito :o
Adoro

Rafaela disse...

Ooooh, ela não tá a exagerar? o.o'
Já tava a pensar que as mães iam começar à porrada ahah
Lol, estava a brincar xd

Quero o proximo, please. Beijinhos*

Marisa Costa disse...

Supostamente tens de casar comigo (mas só supostamente)!

m. disse...

vamos ver agora é se ele gosta (:

Nonô Torres disse...

Se tivesse acontecido não me importava, mas ainda bem que não aconteceu, senão ia chamar-lhe de piroso até ao fim dos seus dias xD

Wendy Everly disse...

omd! a mae dela nao tomou a decisao masi acertada para eles os dois...
acho que eles se amam o suficiente para estarem juntos :)
está lindo, beijinhos

CláudiaD disse...

r: um ex namorado meu apareceu lá e pediu-me desculpas de joelhos e lálá :p

CláudiaD disse...

Tenho de arranjar tempo para ler a tua historia ahah :D

Belleine disse...

bem, a mãe da Filipa mais parece a minha mãe :) adorei, só espero que tudo corra bem entre eles e fiquem juntos!

Marisa Costa disse...

ahah :D
Vamos casar uhuh

Marisa Costa disse...

Sabias que o teu tumblr é perfeito?
As imagens são tão lindas *-*

Marisa Costa disse...

Estou a começar a apaixonar me pelo mundo dos tumblrs!

miúda muito maluca disse...

Este capítulo está excelente mas deixou-me enervada :p

Nonô Torres disse...

r: Melhor era impossivel xb

Jéssica disse...

Oh, adorei como sempre :)
Fico a aguardar anciosamente pelo próximo capítulo. Adoro a forma como escreves, como descreves os momentos e as coisas ^^

CláudiaD disse...

r: sim aceitei claro, pediu-me desculpas em frente a toda a gente no meio de uma rua em frente ao Palácio de Mafra :D

Baptista disse...

Tou chocada com este capítulo :o

Mariana disse...

Olá gosto muito do blo e já seguia.Gostava muito que pudesses ir dar uma olhadinha no meu, e se realmente gostares seguir.http://sozinhaentrepensamentos.blogspot.pt/.Beijinhos e obrigada <3

Belleine disse...

algo mais que temos em comum então :)

CláudiaD disse...

Não, não voltamos! Somos apenas amigos mas ele devia-me este pedido de desculpas já a algum tempo :)

CláudiaD disse...

r: chamou-me imensos nomes e insinuou imensas coisas :s

Baptista disse...

Gostar, não gosto. Mas é a relação que eu tenho com "ele" :$

Marisa Costa disse...

Exagero? É a verdade :)
Não sei se hei de criar um, não sei se tenho tempo :(
Amanhã casamos ahah

Corina de Oliveira disse...

Muito lindo :)

Princesinhaa Oliveira disse...

Está lindo :)
Acho que a mae dela exagerou um bocadinho :s

ShOninhA disse...

Quando publicas de novo? esta mesmo naquela fase *-* embora a situação seja má :p

Agostinho disse...

OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG NÃAAAAAAAAAAO :'C

Duarte M. disse...

Nao tinha lido este ainda

Flor disse...

Comecei hoje a ver o teu blog e quando dou por mim já li os capítulos todos (que escreveste até agora claro). Está fantástico. Acho que escolheste os elementos alvos dos jovens :) Também tenho uns capítulos assim, mas um pouco diferentes. Talvez um dia publique :)

Parabéns e mal posso esperar pelo próximo capítulo :)

Filipa Santos disse...

A sério? Uau fico muito feliz que os meus capítulos te tenham cativado a esse ponto e obrigada ♡ Espero que sim, gostaria de os ler :)

Muito obrigada, e se puder, publicarei o próximo sexta feira :)